sábado, 4 de octubre de 2008

A espécie superior



Há problemas e injustiças que são universais. Uma delas é a discriminação e a opressão aos demais animais, os que não são humanos, escravizados para nosso benefício. 

Da mesma forma que alguns humanos acreditavam ser a raça superior – que tinham direito a oprimir e subjugar outros humanos que pertenciam à raças supostamente inferiores – o ser humano em geral acredita ser a espécie superior, e esse preconceito arraigado legitima, aos nossos olhos, o direito de explorar os animais de outras espécies que consideramos inferiores. 

Os animais que não pertencem à nossa espécie são tidos como seres inferiores, seres cuja vida não têm valor algum, que são apenas objetos de interesse se podemos extrair deles algum benefício ilegítimo. Eles não são considerados pessoas porque apresentam uma aparência diferente da do ser humano, porque possuem uma inteligência e uma maneira de se relacionar com o mundo diferentes da nossa, e uma forma de comunicarem-se entre eles que nos é estranha. 

Essa é a base do especismo que vivenciamos em nossa sociedade, do pensamento que fundamenta a exploração dos animais não humanos, do que está por trás de todos os crimes institucionalizados cometidos todos os dias em granjas, matadouros, arenas de touros e em outros lugares macabros, cuja única atividade consiste em escravizar e assassinar os outros animais para uso humano. 

Traduzido por Júlia Portela

No hay comentarios:

Publicar un comentario